14 janeiro 2011

Treze Futebol Clube


O Treze Futebol Clube é uma agremiação esportiva da cidade de Campina Grande, uma das principais cidades paraibanas. Fundado no dia 7 de setembro de 1925, é um dos maiores clubes e uma das maiores torcidas da Paraíba, tendo 15 campeonatos da Paraíba, uma Copa Paraíba de 2009, uma Taça Brasil Nordeste de 1967 e uma Série B em 1986 (Módulo Amarelo), porém esse torneio não é reconhecido oficialmente pela CBF, além é claro de 21 campeonatos de Campina Grande. É conhecido como Galo da Borborema.


No dia 7 de setembro de 1925, treze pessoas (Antônio Fernandes Bióca, Alberto Santos, Amélio Leite, José Casado, José de Castro, José Eloy Júnior, José Rodolfo, José Sodré,Luiz Gomes, Olívio Barreto, Osmindo Lima, Plácido Véras - Guiné, e Zacarias Ribeiro - Cotó) lideradas por Antônio Fernandes Bióca (1894-1996), introdutor do futebol na cidade de Campina Grande, se reuniram numa simples casa, onde hoje em dia está construído o Colégio Motiva, e fundaram o Treze Futebol Clube (nome alusivo aos treze dirigentes que fundaram o clube). O nome do Treze foi decidido no dia 20 de outubro em outra reunião, onde tinham dúvida entre Sport Club e Futebol Club, mas como a principal atividade seria o futebol o segundo nome foi escolhido.

No dia 1º de maio de 1926, o Treze faz o seu primeiro jogo, sendo o adversário o Palmeiras, desta cidade.   Sai vencedor por 1 x 0, gol marcado por Plácido Véras, apelidado de "Guiné".  Ainda este ano, já aparece na "Revista Fon Fon", de circulação nacional, no mês de setembro.  O Treze estava crescendo logo após nascer.

  Primeira Formação do Treze Futebol Clube


Entre os anos de 1926 e 1929 o clube foi tetra em Campina Grande, mas no ano seguinte devido a uma forte crise interna a diretoria do clube toma a decisão de fechar as portas do clube. Em 1937 o clube foi reativado sob liderança do seu principal nome, o fundador Bióca, sendo que o clube foi se reestruturando rapidamente, começando pelo início das obras no Presidente Vargas no ano posterior.

Jogo do Treze em 1926

Após o sucesso citadino, em 1939 participa do estadual, mas acaba esbarrando no bom time do Auto Esporte e ficando com o vice. O primeiro título estadual veio em 1940 (em 1941 também), seguido de diversos campeonatos citadinos, fazendo a glória do clube, além de tudo inaugurando o grandioso Presidente Vargas.

Em 1949 o clube é o primeiro paraibano a jogar fora de seu estado, já no ano seguinte se torna um clube profissional e vence o campeonato estadual. Agora em 1951 realiza um amistoso diante do Vélez Sarsfield, da Argentina, perdendo por 3 x 2. 

Os trezeanos Marinho, Hercílio e Ruivo recebem o prêmio "Belfort Duarte", concedido aos atletas que disputassem 80 partidas sem receber qualquer punição, isso no ano de 1953. Dois anos depois além de inaugurar o Estádio Plínio Lemos, ocorre o primeiro clássico com o Campinense. Em 1958 o seu estádio, o Presidente Vargas.

Time de 1958

Após diversos anos na ''seca'', o Treze volta a reinar em solo paraibano em 1966 com a seguinte campanha: 


12/06/66 - Treze 1-0 Nacional
19/06/66 - Treze 3-0 União
22/06/66 - Treze 3-1 Guarabira
18/07/66 - Treze 3-0 Esporte
24/07/66 - Treze 2-2 Botafogo
14/08/66 - Treze 3-0 Santos
04/09/66 - Treze 2-0 Campinense
09/10/66 - Treze 1-0 Nacional
23/10/66 - Treze 2-0 Guarabira
06/11/66 - Treze 2-2 União
18/11/66 - Treze 1-0 Santos
27/11/66 - Treze 3-0 Botafogo
04/12/66 - Treze 1-0 Esporte
11/12/66 - Treze 1-0 Campinense 

Time Base: Augusto, Braga, Lopes, Antonino, Romildo,
Zoroa, Soares, Lima, Marcos, Cocó e Zé Luiz.

Treze campeão paraibano invicto de 1966
Em 1967 disputa a "Taça Brasil". O trezeano Chicletes foi o artilheiro da competição, superando inclusive Pelé, aquela altura já o maior jogador do mundo.

Garrincha com a camisa alvinegra em 1968

Em 1969 o Treze foi marcado por uma tragédia, nomes como o de Zé Luiz, Janca, Zé Pequeno entre outros, faziam parte da equipe comandada pelo técnico Edésio Leitão. Assim, tudo levaria a crer que o dia 13 de julho entraria para a história do Treze, como um dia de alegria, já que uma simples vitória contra o Botafogo de João Pessoa, faria o Treze o campeão estadual de 1969.
Infelizmente, o pior aconteceu. Ao se dirigir a capital do Estado, o ônibus da empresa “Seridó”, com a equipe do Treze a bordo, capotou três vezes na temida “Curva da Piedade”, após uma tentativa de se desviar de um ônibus. Ao menos o time não teve vítimas fatais. No mesmo ano é campeão da Copa Nordeste.

Em 1975 o Galo da Borborema completa seu cinquentenário e para comemorar disputa uma partida amistosa contra o Internacional. No mesmo ano o clube é campeão paraibano ao dividir o troféu com o Botafogo.


Treze campeão de 1975

Participa do Brasileirão. Apresenta índice de público superior a cidades como Porto Alegre, Rio de Janeiro, Recife e Curitiba. Em 1977 participa mais uma vez do Brasileirão, ficando na 55° colocação entre 61 times.


Em 1978 sob o protesto da torcida, tem o seu nome mudado para Treze Athlético Paraibano. A canção "Galo da Borborema", de João Martinhs, é "adotada" como hino do clube. Já no ano seguinte Adelino, atleta alvinegro, iguala feito de Pelé, ao marcar oito gols em uma partida oficial, contra o Nacional de Cabedelo, que perde por 13 x 0.

Entre 1981 e 1983 é tricampeão paraibano.


Campeão de 1981
Campeão de 1982
Campeão de 1983

Em 1984 também participa do Nacional (além de ter participado em 1982, 1983) e fica em 26° entre 41 clubes. Em 1985 a FPF divulga o Botafogo e Treze como campeões estaduais, gerando polêmica mais uma vez.

O Treze conquista o Módulo Amarelo do Torneio Paralelo da CBF, correspondente à atual Segunda Divisão. Vitórias sobre o Santos, em plena Vila Belmiro, e São Paulo, ambas por 1 x 0. Como dito anteriormente o título da Série B é desconsiderado pela CBF.


 Treze campeão em 1986 da Série B

Em 1989, conquista do Supercampeonato Estadual. Um temporal destrói as torres de iluminação do PV.   

O alvinegro passa por grave crise interna, culminando no seu rebaixamento à segunda divisão do campeonato estadual em 1994. Em 1995 e 1996 disputa a divisão inferior e consegue enfim o acesso, mas no mesmo ano seus fundadores remanescentes, Guiné e Bióca, morrem já com idade avançada. Em 1998 é inaugurado novamente a iluminação do Presidente Vargas.

O Treze é a primeira equipe paraibana a passar para a segunda fase da Copa Brasil, após derrotar o Santa Cruz do Recife em pleno estádio do Arruda. Empata, por duas vezes, com o Corinthians Paulista, então campeão brasileiro, sendo eliminado somente nos pênaltis. Em 2000 se sagra novamente campeão da Paraíba. Em 2001 é bicampeão.

Treze campeão em 2000

Treze campeão em 2001

Em 2004 o clube fez uma boa Série C do Brasileirão ao ficar em 7° lugar.

Campeão paraibano em 2005 em cima do maior rival Campinense. Alcança o 5º lugar na Copa do Brasil, eliminando equipes como o Coritiba e São Caetano, sendo eliminado apenas pelo Fluminense nos pênaltis nas quartas de final. Em 2006 é bicampeão paraibano.

Campeão de 2005

Treze campeão em 2006

Torcida Trezeana

Em 2010 voltou a ser campeão paraibano em cima do rival Campinense. Na Série D porém não obteve sucesso e acabou sendo eliminado pelo Araguaína.

Campeão Paraibano de 2010


Escudos Anteriores



Mascote

Galo

O mascote do Treze é o galo, devido a numeração no jogo do bicho, no qual o número 13 corresponde ao galo.

Estádios
Presidente Vargas

Nome: Estádio Presidente Vargas
Cidade: Campina Grande/PB
Capacidade: 10000 pessoas
Inauguração: 17 de março de 1940, no jogo Treze 3 x 3 Ypiranga-PE
Primeiro Gol: Alcides, do Ypiranga
Recorde de Público: 
Propriedade: Treze Futebol Clube
Obs: Getúlio Dornelles Vargas foi um dos maiores presidentes da República Federativa do Brasil.


Amigão

Nome: Estádio Governador Ernani Sátyro
Local: Campina Grande/PB
Capacidade: 38 mil pessoas
Inauguração: 8 de março de 1975, Campinense 0 x 0 Botafogo
Primeiro gol: Pedrinho Cangula, do Campinense
Recorde de público: 42.149 pessoas, no jogo Treze 1 x 3 Flamengo, dia 7 de fevereiro de 1982
Propriedade: Governo da Paraíba
Obs: Nascido em 1911, Ernani Ayres Sátyro foi governador da Paraíba entre 1971 e 1975. Foi membro da Academia Brasileira de Letras, 8 vezes deputado federal na Paraíba. Morreu em Brasília em 1986.


Hino

Letra e música: João Martins

Somos campeões
Da Paraíba somos o melhor
Somos campeões
Treze querido tu és o maior

Sua torcida é uma legião
E a cada dia sempre cresce mais
Somos campeões dos campeões
Dos campeonatos paraibanos e regionais

Treze, Treze
Tu és a alegria do povo
Treze, Treze
Tu és campeão de novo

És alvinegro o "Galo da Borborema"
De tantas glórias e tradições
Treze, Treze
Sou trezeano de coração

Link: http://www.youtube.com/watch?v=4Cixjt4zV2Q

7 comentários:

  1. Para minha surpresa, agora quando entrei no site do Treze Futebol Club, encontrei o Hino oficial do Clube, diferente do que minha mãe cantava para nós e para os netos.
    Minha mãe Edwiges nascida no Rio Janeiro(1915) e meu pai Valentim Thomaz da Silva (1913) - Nascido em Bananeira - Campina Grande/PB (ambos falecidos),cantavam para nós ainda bem pequenos eu Giselia, nasci em 1944, meu irmão Gileno (9) e meu irmão caçula Gildenor (1948), o hino do Treze, porém com outra letra.
    Ela cantava :
    O Treze no campo luta em prol,
    do seu alvinegro pavilhão.
    Para dizer também que o futebol
    é a mais sagrade vidersão.

    Cotó combina com Guiné e com Casado
    enquanto Alberto leva a bola a frente e
    Zacarias por não ser muito esforçado,
    Toca de longe e manda a bola para dentro

    Então queria saber se essa letra foi a que antecedeu ao Hino Oficial, ou se era apenas um hino que era cantado pela torcida Trezence.

    ResponderExcluir
  2. Poxa não tinha visto esse hino, conhecia o hino tradicional do Treze: - somos campeões, da Paraíba somos o melhor, somos campeões, Treze querido tu és o maior.

    Legal saber amigo, obrigado pelo comentário e pela visita.

    ResponderExcluir
  3. Refrão do Hino Oficial do Treze:

    Galo, Galo, Galo
    És um lutador
    Nas tuas conquistas
    Garra nunca te faltou...



    A primeira foto que aparece não é do Estádio do Treze, além do Treze não ter sido 15 vezes campeão paraibano.

    ResponderExcluir
  4. iaew pessoa olhe meu blog ai http://treze-pb.blogspot.com/2011/04/melho-time-da-paraiba.html vlw :D

    ResponderExcluir
  5. treze minha vida treze meu amor!!!

    ResponderExcluir
  6. o treze e um time muito lindo da paraiba forte
    destemido no gramado garra acima de tudo assistir muitos jogos do treze x campinense e pura emoção............
    mais realmente sou rapozeiro de coração e porque sou paraibano da gema.........as cores da bandeira paraibana dizem tudo tar no sangue
    gente desculpa raposa raposa ole ole ole ole vou com voçe ate..........

    ResponderExcluir
  7. Galo da Borborema, sua história tem valor, seu passado é todo de gloria o cinquentenário ele já completou, tem a torcida maior do estado sempre ao seu lado nunca o abandonou, para comprovar tudo isso que falo veja os trofeus que ele já conquistou. galo, galo, galo és lutador... esse era o hino que eu cantava, no zépa,reduto da raposa nos anos 80. GALOOOOOOOO. Oberi.

    ResponderExcluir

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *