27 junho 2010

Tupi Football Club



O Tupi Football Club é um clube esportivo da cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Fundado no dia 26 de maio de 1912, é um dos principais times do interior mineiro, mesmo não conquistando um estadual. O Galo Carijó tem um título do Módulo II de Minas de 2001 e uma Taça Minas Gerais de 2008, além de outros títulos menores, como os 23 títulos citadinos de Juiz de Fora.


Foi fundado em 1912, provavelmente por dissidentes daquele que seria seu maior rival: o Tupynambás Futebol Clube, mas essa versão nunca foi confirmada. Oficialmente o time contou com cinco fundadores, sendo o mais importante deles Antônio Maria Júnior. O alvinegro do uniforme permanece até hoje.

O primeiro duelo entre os 2 times foi ainda em 1912 com empate de 1 x 1. A liga juizforiana foi fundada em 1918, e o Galo Carijó foi campeão pela primeira vez em 1921. Repetiu o feito em 1923, 1926, 1929, 1933, 1935,1936, 1937, 1940, 1941, 1944.1945, 1947, 1948, 1951, 1952, 1954, 1963, 1965, 1969, 1977 e em 1978.

No final do ano de 1965, quando o Cruzeiro conquistou o título de Campeão Mineiro, o Tupi passava por um momento menos fortalecido, ficando em último lugar no Campeonato de Juiz de Fora. Então, após uma renovação do time, em janeiro de 1966, o Tupi convidou o Cruzeiro para um jogo na cidade e venceu por 3 x 2, derrotando a famosa equipe de Tostão, Dirceu, Zé Carlos, Piazza, Natal e outros craques. Como um time de Juiz de Fora poderia vencer o grande Cruzeiro? Belo Horizonte não poderia engolir esta afronta. Por isso, o Tupi foi convidado a jogar com o Atlético, no Mineirão. Resultado do desafio: o Tupi derrotou o clube por 2 x 1, que era dirigido por Paulo Amaral. Um novo desafio foi levantado pelo América Mineiro, dirigido por Yustrick, já que o Tupi estava desmoralizando os times de Belo Horizonte. Mais uma vitória do Tupi por 2 x 1 foi o resultado. Quem imaginaria o Tupi derrotar os três times da capital? Isso não poderia ficar assim, então o Cruzeiro pediu uma revanche do jogo realizado em Juiz de Fora, alegando que no Mineirão ia “arrasar” o Tupi e acabar com a brincadeira. Nova vitória do Tupi por 2 x 1 fez todo o Brasil falar naquela equipe, que foi convidada para treinar contra a Seleção Brasileira de Pelé e Garrincha em Caxambu, quando empatou em 1 x 1. O técnico do Tupi era Geraldo Magela Tavares, e a escalação do time base responsável por essas grandes vitórias era a seguinte: Waldir (Hélio); Manoel, Murilo, Dário (Eli Flores) e Walter; França e Mauro; João Pires, Toledo, Vicente e Eurico.

Em 1969 estreou em campeonatos estaduais fazendo uma campanha mediana. Em 1971 teve o vice artilheiro da competição, Valmir com 10 gols. Em 1972 acabou rebaixado. Em 1976 voltou a disputar a primeira divisão.

Com seus altos e baixos, o Tupi FC continua firme na sua luta para continuar com o futebol profissional, representando Juiz de Fora. O clube obteve uma ótima participação no Campeonato Mineiro da 1ª divisão nos anos de 85 e 87, quando participou do quadrangular final nos dois anos e conquistou o título de Campeão Mineiro do Interior. Nessa época o Presidente do Tupi era o empresário Maurício Baptista de Oliveira, que investiu forte no sucesso do futebol do clube.


Tupi no fim dos anos 80
Os anos 90 não deixam boas recordações para a torcida alvinegra. Em 1993, após o rebaixamento do Tupi em 1992, os três clubes profissionais de Juiz de Fora, Tupi, Tupynambás e Sport, se uniram com o propósito de se formar somente uma equipe que representasse a cidade, de maneira mais fortalecida. Surgia a Cooperativa Manchester de Futebol. Surgiu a idéia que até hoje rende péssimas lembranças aos torcedores do clube carijó. Sim, porque a vaga na segunda divisão pertencia ao Tupi. A Cooperativa conseguiu o acesso em 1994, beneficiada pelo número de vagas em disputa, quatro. Assim, Juiz de Fora teria novamente um representante na elite mineira e, dessa vez, esperavam os torcedores, para disputar o título. O Manchester acabou decepcionando e rebaixado em 1995. Em 1996 voltou tudo ao normal.

Após um período não tão glorioso na década de 90, o Tupi se reergueu a elite do futebol mineiro em 2001, ao vencer o Módulo II, vencendo o América de Alfenas no Mário Helênio por 3 x 1, diante de mais de 10 mil pagantes.

 Ficha técnica do jogo do acesso, em 2001

Em 2003, o conhecido Carijó alcançou uma notável posição: foi novamente Campeão do Interior, chegando a terceiro lugar no Campeonato Mineiro, e pela primeira vez conseguiu uma vaga para disputar a Copa do Brasil em 2004. Na Copa do Brasil deu trabalho ao Flamengo, principalmente com o atacante Marinho, que depois seria destaque no Atlético Mineiro, mas não conseguiu eliminar o rubro-negro. O Tupi de quebra foi rebaixado para o Módulo II.

Retornou em 2006 ao vencer o Juventus de Minas Novas por 3 x 1 no Mário Helênio, para alegria da nação carijó. Em 2007 ficou em 4° lugar no estadual.

Jogadores alvinegros agradecem pelo acesso em 2006

Em 2008, o futebol voltou a ser administrado pelo próprio clube, com a eleição do Dr. Àureo Carneiro Fortuna e do Dr. José Roberto Maranhas, para Presidente e Vice-Presidente, respectivamente. Dando continuidade ao trabalho realizado em 2007, juntamente ao apoio de parceiros – MRS Logística, Unimed de Juiz de Fora, Supermercado Bahamas, CJF, Carioca Esportes, Ritz Hotel, Higéia Academia, Frotanobre Turismo, Sudeste Veículos, além da Prefeitura de Juiz de Fora – que acreditaram no forte trabalho da nova diretoria, o Tupi fez um ótimo Campeonato Mineiro, classificando-se em segundo lugar para o quadrangular final e terminando em terceiro lugar geral atrás apenas de Cruzeiro e Atlético. Além dessa vitória, foi campeão da Taça Minas Gerais garantindo, assim, mais uma participação na Copa do Brasil e na recém criada série “D” de 2009.

Em 2009 foi eliminado nas quartas de final para o Cruzeiro, chegando a perder em Juiz de Fora por 7 x 2 para o time da capital. Foi eliminado na primera fase pelo Criciúma. Representou Minas na primeira Série D e foi muito bem, mas acabou perdendo o acesso ao ser eliminado para o Macaé;

 Tupi em jogo pelo estadual em 2009


O Galo Carijó foi eliminado nas quartas de final do estadual de 2010.


Torcida do Tupi marca presença maciça em Juiz de Fora



Mascote

Galo Carijó


Estádio

Mário Helênio

Nome: Estádio Municipal Radialista Mário Helênio
Local: Juiz de Fora/MG
Capacidade: 35000 pessoas
Inauguração: 30 de outubro de 1988, no jogo Flamengo 2 x 1 Argentinos Júniors-ARG
Primeiro Gol: Bebeto, do Flamengo
Recorde de Público: 20.508 pagantes, no jogo Flamengo 0 x 0 Portuguesa, em 22 de julho de 1996
Propriedade: Prefeitura Municipal de Juiz de Fora
Obs: Mário Helênio foi radialista famoso na cidade de Juiz de Fora.


Hino

Autores: Geraldo Santana, Messias da Rocha e Carlos Odilon

    Vão desfilar as emoções, Vão repetir-se as tradições, É o Tupi, é o galo, o índio, é o coração Batendo, batendo forte Em compassada vibração. Tupi, Tupi é união! Dos campeões, o campeão! É força viva, é muito mais que uma paixão. É a jogada, é o silêncio de um instante. É a repentina explosão dos carijós. Ao tremular do alvinegro pavilhão, Vibra a torcida, ganha o time inspiração. Surge na luta a chama viva da esperança, E o galo forte carijó não tem rivais… Grandes vitórias sempre alcança, E vive a glória dos imortais…
 Link: http://www.youtube.com/watch?v=TVRQKzvuPtU

6 comentários:

  1. É o único orgulho de Minas Gerais.

    ResponderExcluir
  2. importante aumentar a parceria Tupi e Flamengo, visto que o time mais popular do mundo é um marco no estádio da cidade. Também questionar os primeiros campeões mineiros, já que a liga metropolitana é que disputava sozinha. E a liga citadina?

    ResponderExcluir
  3. Campeão Brasileiro da Série D no ano de 2011!

    ResponderExcluir
  4. Existe a possibilidade de estar apresentando um atleta (lateral direito) para teste? E como seria esse procedimento para apresenta-lo?

    ResponderExcluir
  5. Melhor time do estado de Minas Gerais

    ResponderExcluir

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *