20 abril 2010

Goiás Esporte Clube


O Goiás Esporte Clube é um clube esportivo brasileiro da cidade de Goiânia, capital do estado de Goiás. Fundado no dia 6 de abril de 1943, é o maior clube de futebol do Goiás e do Centro-Oeste do Brasil, sendo o maior campeão goiano e também regional. Também tem o maior número de participações na Série A entre os clubes do Centro-Oeste, além de ter jogado Libertadores e possuir a maior torcida da região. O clube tem como maior rival o Vila Nova, mas possui rivalidade também com o Atlético Goianiense.


Goiânia ainda não havia completado 10 anos de idade quando um grupo de amigos se reunia na casa dos irmãos Lino e Carlo Barsi para discutir a criação de um novo clube de futebol.
Pinto a lenda, com a liberdade poética a que toda boa lenda tem direito, que em meados de os irmãos Lino e Carlos Barsi foram educadamente expulsos de casa por sua mãe. Afinal, eram os dois e mais 10 amigos discutindo acaloradamente sobre um tal clube que ainda nem existia. Ainda não existia. Devidamente enxotados, na rua, sob a luz de um poste, o grupo tomou de vez a decisão e, em 6 de abril daquele ano, nasceu o Goiás Esporte Clube. Nasceu pequeno e amador – tão amador que, para jogar a primeira partida de sua história, contra o Atlético Goianiense, utilizou camisas (verdes com listas horizontais brancas) doadas pelo América-MG. Só que os mineiros só puderam dar nove camisas e foi preciso completar com duas inteiras brancas.

Em 1944 acaba disputando seu primeiro estadual, ainda na era amadora do estado, ficando na terceira posição.

No ano de 1951 o Goiás acaba disputando a final do campeonato pela primeira vez com a potência da época, o Goiânia Esporte Clube. Empatou uma partida e venceu a outra, sendo que o Galo foi á justiça. Seis anos depois o título é decidido, com o Goiânia saindo vencedor.

Por longos 20 e tantos anos, o clube que nasceu pequeno assim permaneceu. Durante as décadas de 50 e 60, o Goiás foi chamado jocosamente pelos rivais de “Clube dos 33” – brincadeira de que era esse o número de torcedores que o clube tinha. Nas partidas, para cada camisa verde que entrava no estádio, a torcida rival entoava “Trinta e dois, trinta e dois!”, como se só faltasse mais um para completar o arsenal completo. Pior do que a fama de impopular era de perdedor: foram anos duros, em que o único brilho vinha de Tão Segurado, o atacante que vestiu a camisa esmeraldina entre 1954 e 61 e foi o primeiro jogador do time a ser artilheiro do Campeonato Goiano, em 56.

Tão Segurado com a camisa do Goiás


Em 1960 a diretoria do clube faz um grande negócio: consegue a aquisição do terreno da Serrinha numa área conhecido como Fazenda Macambira. Apesar disso, o Goiás continuava um time pequeno, sendo que em 1965 o Esmeraldino quase foi rebaixado no Campeonato Goiano.

A dase ruim persistiu até que em 1966 o Goiás fez uma campanha impecável, perdendo somente uma partida para o Anápolis, e se sagrando campeão estadual pela primeira vez. Seria o primeiro de vários títulos que viriam ao longo dos anos.

Comandado pelo zagueiro Macalé, os torcedores do Goiás finalmente podiam rebater qualquer picuinha com uma frase simples: “sou campeão goiano”. E era bom ir se acostumando, porque dali a pouco passou a ser rotina ano sim, outro também.

Goiás campeão 1966

No ano seguinte acaba participando pela primeira vez de um torneio nacional, no caso a Taça Brasil. Na primeira fase vence o Rabello do Distrito Federal, mas não passa de fase em um grupo com Goytacaz e Rio Branco de Cariacica.

Nos anos 70 que o Goiás começou a dar os primeiros passos para o que o clube representa hoje, muitos falam que o clube começou a engrandecer depois da construção do estádio Serra Dourada, em 1975.

Em 1971 e 1972 o time conquista o bicampeonato goiano, a Taça Governador e o Torneio Goiás-Pará. Em 1973 se torna o primeiro time goiano a disputar o Brasileirão, sendo que estreou empatando com o Olaria em 0 x 0 no Olímpico. A primeira vitória foi também no Olímpico, só que sobre o Flamengo, com gol do ídolo Lincoln. O time acabou ficando em um honroso 13° lugar.


Lincoln com camisa do Goiás

Em 1975 e 1976 o Esmeraldino conquista um bicampeonato estadual e disputa mais uma vez o Campeonato Brasileiro.

Em 1981 ocorreu o campeonato mais polêmico em Goiás. O Vila vinha de uma sequência de quatro conquistas consecutivas, mas não chegou na final.
Goiás e Anapolina fizeram a final em três partidas, nos dias 29/11, 02/12 e 06/12, tendo as três terminadas empatadas por 2x2, 1x1 e 1x1, respectivamente, o que dava o título ao time da cidade de Anápolis, que tinha maior número de pontos na primeira fase. Porém, na segunda partida a Anapolina escalou um jogador em situação irregular. Assim, o Goiás reclamou e ganhou os pontos daquela partida na justiça desportiva e, dessa forma, ficou com o título.

Em 1983 é novamente campeão em cima da Anapolina, só que dessa vez conseguiu a vitória no gramado. No mesmo ano faz uma grande campanha no Nacional, chegando até as quartas de final. O craque do time no início da década era Luvanor, mas acabou negociado com o Catania , da Itália. A diretoria também negocia a aquisição da área do CT do Parque Anhanguera. Outros destaques na década eram Zé Teodoro, Uidemar e Cacau.

Goiás campeão de 1983

Em 1986 novamente conquista o estadual, dessa vez pra cima do Atlético Goianiense. Em 1987 conquista o seu terceiro bicampeonato na história. No ano de 1987 acabou sendo convidado para jogar a Copa União.

Goiás campeão de 1986

Em 1988 não conquistou títulos, mas aplicou a maior goleada de um clube goiano, vencendo no dia 11 de maio a Jataiense por 12 x 0 no Serra Dourada.

O ano seguinte é marcado por realizações no Goiás, sendo novamente campeão estadual em cima do Vila Nova e tendo pela primeira vez um artilheiro no Campeonato Brasileiro, sendo o atacante Túlio Maravilha, com onze gols.

Time de 1989

Túlio com a camisa esmeraldina

Em 1990 é campeão estadual em cima do surpreendente Mineiros e faz uma excelente campanha na Copa do Brasil, mas acaba perdendo a final para o Flamengo. Em 1991 conquista o inédito tricampeonato goiano.

Em 1992 perde o estadual para o Goiatuba e só não é rebaixado no Brasileirão por conta de uma virada de mesa. Em 1993 volta a fazer fraca campanha no Brasileirão e é rebaixado pela primeira vez.

Em 1994 volta a ser campeão em Goiás e retorna á elite do futebol brasileiro ao ser vice campeão da Segunda Divisão, perdendo a final para o Juventude. O destaque do ano foi o artilheiro Baltazar, que no goiano fez 25 gols no campeonato.

No ano de 1995 chega até as quartas de final do Brasileirão e inaugura a Serrinha em um jogo contra o Kashima Antlers, do Japão. Em 1996 volta a ser campeão goiano. O Goiás voltaria a ser o bom time dos anos 80 ao contar com jogadores importantes como Lúcio, Alex Dias, Fernandão, Dill, entre outros.

Partida contra o Grêmio em 1996

Em 1997 mais um título goiano, dessa vez em cima do CRAC. Os destaques foram os pernambucanos Araújo e Josué. Também é incluido no Clube dos 13.

Goiás campeão em 1997


O clube conquista o tricampeonato goiano no ano de 1998, porém acaba rebaixando no Brasileirão pela segunda vez em sua história.

Em 1999 foi tetra no Campeonato Goiano e alcançou a elite novamente sendo campeão em cima do Santa Cruz na Série B do mesmo ano, fazendo novamente uma campanha fabulosa no quadrangular decisivo.

Em 2000 conseguiu o inédito penta no Campeonato Goiano em cima da Anapolina e também é campeão no Torneio Centro-Oeste. Tem Dill como artilheiro do Brasileirão, com 20 gols. O time chega até as oitavas de final no Brasileirão.

Goiás campeão em 2000

Em 2001 conquista o bi na Copa Centro-Oeste novamente em cima do rival Vila Nova e em 2002 conquista o mesmo título em cima do Gama. Em 2002 também é campeão em Goiás.

Campeão Regional 2000

Campeão Regional em 2001

Créditos: clicknoscampeões

No ano posterior o time Esmeraldino é bi no estadual e também chega até as semifinais, quando é eliminado pelo excelente time do Cruzeiro. O Goiás também obteve uma reação espetacular no Brasileirão no segundo turno, quando saiu da lanterna e foi para o nono lugar com grandes atuações de Dill, Araújo e principalmente Dimba, que foi o artilheiro do Brasileirão com 31 gols.

Em 2004 acaba disputando a Copa Sul Americana, quando elimina o Atlético Mineiro, mas para na fase seguinte no jogo contra o Cruzeiro. Fica em um honroso sexto lugar no Brasileirão, com grandes atuações de Rodrigo Tabata, Paulo Baier e Jadilson.

O Goiás volta a dar alegrias a sua apaixonada torcida em 2005. O time fez uma campanha impecável no Brasileirão, sendo campeão simbólico do primeiro turno e ao fim do campeonato conseguiu a terceira posição, ganhando uma vaga histórica na Copa Libertadores de 2006. O técnico era Geninho.

Em 2006 fez boa campanha na Libertadores, porém foi eliminado pelo Estudiantes, terminando a competição em nono lugar. Também é campeão goiano.

Goiás campeão goiano em 2006
Torcida do Goiás na Libertadores

Em 2007 por pouco não volta para a Série B com uma campanha ridícula na Série A, perdendo vários jogos para adversários medianos. Se salvou na última rodada vencendo o Inter no Serra Dourada por 2 x 1 e contando com o empate do Corinthians com o Grêmio em Porto Alegre. Elson foi o herói da partida com dois gols marcados para delírio dos mais de 35 mil esmeraldinos no Serra Dourada.

Em 2008 acaba perdendo a decisão para o Itumbiara, mas fica na oitava posição no Brasileirão.

Em 2009 é campeão goiano em cima do Atlético, em título que foi parar novamente nos tribunais. Na Copa do Brasil é eliminado nas oitavas para o Fluminense. É eliminado da Copa Sul Americana pelo Cerro Porteño. No ano o time repatriou o ídolo Fernandão, e tinha um excelente plantel, com os laterais Vitor e Júlio César (destaque do Brasileirão), o atacante Iarley, o meia Léo Lima, entre outros, mas não conseguiu mais do que alcançar o 9° lugar, embora tenha sido decisivo na reta final do Brasileirão, principalmente por ter enfrentado e jogado de igual para igual com concorrentes ao título, como o Flamengo e São Paulo, influenciando diretamente na briga, que teve como vencedor o clube carioca. No mesmo torneio emplacou uma goleada de 4 x 1 no Corinthians dentro do Pacaembu.

Campeão goiano em 2009


No ano seguinte o clube alviverde não consegue o bicampeonato goiano ao ser eliminado nas semifinais pelo rival Atlético Goianiense. Já na Copa do Brasil passou pelo Ituiutaba na primeira fase e pelo São José-AP na segunda fase, caindo para o Vitória, futuro finalista, nas oitavas. Mesmo contando com um time teoricamente para chegar no meio da tabela, em que podemos destacar a presença de Rafael Moura, Marcão, Wellington Monteiro, Jadílson, Carlos Alberto (volante ex-Atlético Mineiro, Figueirense e Corinthians), Bernardo, Felipe, entre outros, acabou decepcionando a torcida esmeraldina no Brasileirão e se posicionando apenas na 19° posição com 33 pontos, assim decretando a volta para a Segunda Divisão após onze anos.
Contrariando as expectativas e a horripilante campanha que fazia na Série A, o clube ia seguindo na Copa Sul-Americana, eliminando o Grêmio, Peñarol e Avaí, assim chegando ás semifinais do torneio continental, agora tendo que enfrentar o embalado Palmeiras. No primeiro jogo houve derrota de 1 x 0 em pleno Serra Dourada para os palestrinos. Desacreditaao pelo péssimo desempenho no ano e pela derrota no primeiro jogo, a imprensa dava como certa a vitória do Palmeiras na segunda partida, muitos se tratando de até um "chocolate" alviverde, mas o que se viu foi um Goiás valente e disposto a reverter a desvantagem mesmo longe de seus domínios, se concretizando após a imprevisível vitória por 2 x 1 de virada, com gols de Carlos Alberto e Ernando, selando a inesperada classificação para a final do torneio, representando o Brasil nos dois jogos decisivos. O Independiente de Avellaneda seria o adversário. O primeiro jogo, marcado pela expectativa de todos, contou com um Serra Dourada absolutamente tomado por mais de 35 mil pagantes (possivelmente teria, em números não oficiais, chegado aos 40 mil torcedores) que cantavam e vibravam como nunca, ajudando o clube a conquistar a vitória por 2 x 0 após uma exibição impecável de Rafael Moura, que marcou um dos gols da vitória, assim como o também atacante Otacílio Neto. No segundo jogo, porém, a atuação não foi a mesma, e diante do caldeirão formado no Libertadores de America, com uma partida marcada pela total entrega dos Diablos Rojos, o jogo acabou ficando 3 x 1 para os argentinos, indo para os pênaltis, em que o clube esmeraldino não conseguiu derrotar os donos da casa, ficando com o vice do torneio, o que não impediu que a sua campanha se tornasse um marco em sua história, marcada pelas grandes partidas que fez, colocando de vez o Goiás no cenário internacional.

Goiás x Independiente pelo primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana de 2010

Em 2011 esperava-se um Goiás temido e mordido pelas seguintes frustrações colecionadas no ano anterior, mesmo com um elenco reduzido e muito mais barato que os times de outros períodos, tendo como grande meta a volta para a elite do futebol nacional. Não obstante o que se viu foi um clube apático na maior parte do ano, tendo ainda bons lampejos na Copa do Brasil, eliminando os dois clubes das fases preliminares, Vitória-ES e Ponte Preta, respectivamente, ainda na primeira partida, porém nas oitavas caiu diante o time do São Paulo, ao perder as duas partidas. No estadual havia uma esperança em reconquistar o título goiano ao eliminar o rival Vila Nova nas semifinais. Porém na final, após dois jogos bastante equilibrados (dois empates em 1 x 1) contra o Atlético Goianiense, quem levou a melhor foi o Dragão, favorecido por obter a melhor campanha. O destaque do torneio foi o atacante Hugo, que conseguiu marcar sete tentos durante a competição. 

Se havia um favorito para o nacional pela estrutura e toda sua história esse seria o Goiás juntamente com o Vitória, ambos rebaixados na edição do ano anterior. O elenco do Goiás não conseguiu fazer boas atuações, e ficando ao fim do primeiro turno apenas na 13° colocação. A equipe, então favorita para o torneio, chegou até mesmo a figurar na zona de rebaixamento do torneio, mas em uma arrancada fulminante terminou por ter chances de acesso nas últimas rodadas, sonho não concretizado, tendo em vista que terminaram na 11° posição, tendo a volta do antigo jogador Iarley.

No ano de 2012 os esmeraldinos estavam dispostos a passar por cima das duas péssimas temporadas que haviam presenciado nos anos anteriores, e nada melhor do que limpar a casa para se concretizar tais objetivos. Foram contratados diversos jogadores por empréstimo do Internacional, como Juliano, Eduardo Sasha, Thiago Humberto, Ricardo Goulart e Marinho, além de jogadores como os meias David, Renan Oliveira e Netinho, os laterais Egídio e Peter, entre outros, que culminou em uma campanha muito boa no estadual, com 13 vitórias em 18 jogos na primeira fase. Nas semifinais enfrentou o Vila Nova, batendo o rival nos dois jogos (1 x 0 e 3 x 0, respectivamente), enfrentando novamente na final o rival Atlético, mas nesse ano a soma dos jogos daria um gosto mais agradável para os alviverdes, pois com dois empates (2x2 e 1 x 1, na sequência), o Goiás conquistou o torneio pela vigésima terceira vez. Na Copa do Brasil obteve uma campanha a altura de suas honrosas tradições em âmbito nacional, chegando até ás quartas de final, sendo eliminado mais uma vez pelo São Paulo, após eliminar Paulista de Jundiaí, América e Atlético Mineiro.

 Goiás campeão goiano de 2012

Para a Série B houve uma manutenção do elenco campeão goiano e a cada vez maior acepção do trabalho feito pelo treinador Enderson Moreira, que veio tentando resgatar a tradição adquirida pelo clube em 69 anos de história, tendo como missão a volta para a Série A, em que fracassaram no ano passado. Por sinal, não começaram nada bem a competição, levando uma goleada história para o América de Natal, 5 x 2, empatando o terceiro jogo com o Ceará por 2 x 2. O primeiro triunfo veio na segunda rodada, disputada contra o Paraná (jogo adiado), vencida por 2 x 0 com gols de Iarley e de Vítor. Contou com reforços importantes, como o atacante Walter, o volante Dudu Cearense e o meia Caio, embora acabaram vendendo a sua jóia para o São Paulo, o zagueiro Rafael Tolói. Em meio ao início do torneio, não conseguiam manter uma sequência de resultados, que veio na segunda metade do turno, em que acabaram na 5° posição, bem perto do paraíso, conseguindo uma goleada histórica contra o Ipatinga em Minas por 6 x 0, que entrou entre as maiores daquela competição. No segundo turno o que se via era um futebol de um time grande, imponente, que jogava para frente, com vontade e técnica, muito bem armado taticamente pelo "professor" Enderson Moreira, massacrando seus adversários, ganhando partidas importantes tanto fora como em casa, incluindo as goleadas de 4 x 1 no Avaí dentro da Ressacada, de 5 x 0 no Guarani, 4 x 0 no ASA e no Ipatinga e no 3 x 0 contra o Barueri, jogo que garantiu o acesso ao primeiro escalão nacional após dois anos de sofrimento, com gols de Egídio, Walter e Dudu Cearense. O título viria no 2 x 1 contra o Joinville, na última rodada, com gols de Walter e Iarley, garantindo o bi campeonato do clube goianiense na competição, e ratificando as belas atuações em toda a temporada, em que podemos destacar jogadores como Ricardo Goulart, Walter, Egídio, Amaral, Ramon e, apesar das críticas, o veterano goleiro Harlei, com toda a sua experiência.

Goiás campeão brasileiro da Série B de 2012

Para a temporada de 2013, manteve a base do elenco campeão, e embora alguns jogadores não renovassem seu contrato, como Peter, Egídio e Ricardo Goulart, mas sendo contratados valores como o atacante Neto Baiano, figura marcante no acesso do Vitória do ano passado, sendo o artilheiro da temporada pelo clube, mesmo tendo sido vendido para Kashiwa Reysol, do Japão.O goleiro Renan e o lateral-esquerdo Eron também acabaram por ser contratados, assim como o meia Hugo, posteriormente. Na primeira fase do torneio o clube manteve a boa fase engatou a quinta marcha, vencendo a maioria dos seus jogos e se isolando absolutamente na primeira posição, com 43 pontos.



Escudos Anteriores



Mascote




Estádios



Serrinha

Nome: Estádio Hailé Pinheiro
Local: Goiânia/GO
Capacidade: 10000 pessoas
Inauguração: 8 de fevereiro de 1995, Goiás 0 x 2 Kashima Antlers-JAP
Primeiro Gol:
Recorde de Público: 15000 pagantes - Goiás 1 x 1 ABC, no dia 03/05/2000
Propriedade: Goiás Esporte Clube
Obs: Hailé Pinheiro é um dos maiores nomes da história do Esmeraldino, dirigindo o time várias vezes nesses anos.


Serra Dourada

Nome: Estádio Serra Dourada
Local: Goiânia/GO
Capacidade: 50.049 pessoas
Inauguração: 9 de março de 1975, no jogo Seleção Goiana 2 x 1 Seleção Portuguesa
Primeiro Gol: Otávio, da Seleção Portuguesa
Recorde de Público: 79.610 pessoas no jogo de inauguração
Propriedade: Governo de Goiás
Obs: Serra Dourada é o local onde se localiza o estádio


Hino

Composição: Paulo Sérgio Vale ,Tavito e Regininha
Eu sou Goiás Esporte Clube
Eu sou Goiás, eu sou Goiás e vou gritar
Até o peito me doer
Até perder a voz eu sou Goiás
Eu sou Goiás até morrer, eu Sou Goiás,
Eu sou Goiás de coração
Cada vez nossa torcida cresce mais
Eternamente serei Goiás
Nosso Clube é a nossa glória
A nossa garra, nossa gente, nossa história
O amor pela nossa bandeira
É para nós a maior vitória
Nosso Clube é a nossa glória
Nossa garra, nossa gente, nossa história
A vida toda eu vou torcer
Eu sou Goiás, Goiás, até morrer
Eu sou Goiás Esporte Clube
Eu sou Goiás, eu sou Goiás e vou gritar
Até o peito me doer
Até perder a voz eu sou Goiás
Eu sou Goiás até morrer
Eu sou Goiás, eu sou Goiás de coração
Cada vez nossa torcida cresce mais
Eternamente serei Goiás.

Hino Original: http://www.youtube.com/watch?v=hwiOsUBj2Ws&feature=related

Versão Antiga 1: http://www.youtube.com/watch?v=JrsnruuH5tw&feature=related

Versão Mr. Gyn: http://www.youtube.com/watch?v=CdZ0SMw4ZCA

Versão Antiga 2: http://videolog.uol.com.br/video.php?id=64092

Versão Banda Atma: http://www.youtube.com/watch?v=LH8GPgpzZe8&feature=related

Versão Zezé di Camargo: http://www.youtube.com/watch?v=sR9w3GNDTtg




7 comentários:

  1. no goias a unica coisa que na presta são os dirigentes, por favor goias traga o iarley de volta por favor!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!.

    ResponderExcluir
  2. sincesamente olha eu tenho uma visão ampla e os jogadores que o goias ec poderia contratar são os seguintes : trezegüet, iarley, aloisio, roni do vila nova aquele time de desgraçados, entre outros façam um time de ouro , seus dirigentes vagabundos, viados, miseraveis.

    ResponderExcluir
  3. trais mesmo o iarley

    ResponderExcluir
  4. eu so espero que o goias volte a ser soberano como antes ja no proximo ano e volte ao seu lugar...j

    ResponderExcluir
  5. Nós somos o melhor dos melhores!!!

    ResponderExcluir
  6. Muito bom o artigo. Só corrigindo, a fotografia em que aparece a torcida esmeraldina formando a palavra "Goiás" de sinalizadores verdes foi tirada no jogo entre Goiás 3 x 2 Flamengo, pela série A do campeonato brasileiro de 2009. Não pela Libertadores.

    ResponderExcluir
  7. Oi, meu pai jogou no Goias a muitos anos atras…gostaria muito das fotos dele o nome dele era Paulo Renato Vieira o apelido era Natinho, se alguém souber de algo favor me mandar um e-mail: goulartkenya@gmail.com.
    Obrigada!
    Kenya Goulart Vieira

    ResponderExcluir

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *