16 abril 2010

Esporte Clube Cruzeiro

O Esporte Clube Cruzeiro é um clube esportivo da cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Fundado no dia 14 de julho de 1914, é um dos mais tradicionais clubes do futebol gaúcho, conseguindo ser um grande clube no RS até os anos 60 do século passado, fazendo uma grande excursão na Europa e também foi campeão gaúcho de 1929.

O clube poderia ter tido o nome de 14 de julho, devido a sua fundação, mas um dos fundadores pediu para que o clube se chamasse Cruzeiro. O primeiro estádio do clube foi a Vila Cruzeiro, que estava localizada na Estrada do Mato Grosso (atual Avenida Bento Gonçalves, no bairro Partenon).

No ano de 1918 conquista seu primeiro campeonato, o torneio citadino de Porto Alegre, repetindo o feito em 1921 e em 1929.

Em 1920 o Cruzeiro mudou-se para o Caminho do Meio, estádio onde ficou durante 18 anos.

Justamente no ano de 1929 ocorreu sua maior conquista: o Campeonato Gaúcho em sua primeira participação, ao bater o Guarany de Bagé na finalíssima, ratificando seu status de um clube grande do futebol gaúcho e também do Sul.

Em 1941 inaugurou o Estádio da Montanha, com capacidade para 20000 torcedores, sendo o símbolo do clube e um dos mais importantes estádios do estado, juntamente com o Estádios dos Eucaliptos. O estádio tinha a alcunha de Colina Melancólica.

Em 1944 contratou o técnico húngaro Emeric Hirchl, que trouxe consigo a famosa dupla de atacantes italianos Flamini e Lombardini, que já haviam atuado pela seleção nacional e haviam atuado na Argentina e na Lazio, da Itália.

O Cruzeiro teve na sua história altos e baixos. Nos primeiros 50 anos de sua existência, foi um clube que incomodava os grandes times, chegando a ser reconhecido como a terceira força do RS, atrás de Grêmio e Inter.

Cruzeiro em 1945

Entre 1953 e 1954 excursionou na Europa e na Ásia, sendo pioneiro em excursões no Rio Grande do Sul. Conseguiu resultados expressivos, como empatar em 0 x 0 com o Real Madrid de Di Stéfano. Jogou também contra a Lazio, Galatasaray, Besiktas, Fenerbahçe, além da Seleção Israelense (primeiro time do Brasil a jogar em Israel) e da Turquia.Tiveram resultados positivos. Jogaram 15 partidas, venceram sete, empataram quatro e perderam outros quatro, marcando 28 e sofrendo 20 gols. Voltando com um aproveitamento de 55,55%.

Cruzeiro nos anos 50

A excursão foi tão capacitada que o clube voltou no ano de 1960 à terra dos desbravadores. Nesta viagem, jogaram contra times como Sevilla, Bayern Hof, Dínamo de Zagreb e outros, além de seleções como Tchecoslováquia, Seleção Olímpica da Dinamarca e Bulgária. E voltaram com um aproveitamento parecido, 54,16%, jogando 24 partidas, com 11 vitórias, seis empates e sete derrotas, marcando 39 gols e sofrendo 35. Com essa campanha, conseguiu um título, o Torneio de Páscoa de Berlim, um campeonato importante para a época, o primeiro título intercontinental de futebol de um clube gaúcho. Para exemplificar como a segunda excursão foi satisfatória, os dirigentes do Randers, um dos adversários na excursão, enviaram uma carta ao Cruzeiro onde eles afirmavam que nunca iam esquecer do time que tinham o derrotado.

O Leão da Montanha tinha como treinador Osvaldo Rolla, o Foguinho, antigo ídolo do Grêmio.

A história do Cruzeiro começou a ganhar um novo destino no fim dos anos 60, quando o então presidente cruzeirista Rafael Peres Borges vendeu o Estádio da Montanha, no bairro Medianeira, para a construção de um cemitério. O último jogo do Cruzeiro na Montanha foi no dia 8 de novembro de 1970, quando o Estrelado venceu o Liverpool-URU por 3 x 2. Vários torcedores deixaram o estádio chorando.

No mesmo ano o time conquistou a Copa Governador do Estado.

Na década de 70 o clube construiu o estádio Estrelão, no bairro Protássio Alves, mais precisamente em 1977. No ano de 1979 o Cruzeiro foi desativado, voltando ao futebol somente no ano de 1991, quando disputou a Segunda Divisão.

Time cruzeirista de 1970

A fase estava tão ruim que no fim dos anos 90 o clube chegou a disputar a Terceira Divisão do estado, situação que se manteve até 2003, quando houve a última edição da competição e o clube voltou a disputar a Segundona.

Em 2008 manteve a esperança para subir, fazendo uma grande campanha na primeira fase, mas decepcionando na segunda, não vencendo nenhum jogo disputado.

Cruzeiro em 2008


O Cruzeiro desde a sua origem revelou grandes craques e muitos atletas que passaram pelo Cruzeiro ao longo deste 96 anos chegaram à Seleção Brasileira, como Aníbal Candiota, Moderato Wisintainer (primeiro gaúcho a jogar uma Copa do Mundo em 1930), Juvenal Amarijo, Luizinho, Irno, Claudio Danni, Alfredo Mostarda, Picasso, Valdir de Morais, Airton Ferreira da Silva, Ortunho, Batista e tantos outros grandes jogadores que já vestiram a camisa Estrelada como Espir Rivaldo, Marne Demeneghi, Mario Andrade, Jorge Andrade, Hermes, Henrique, Arlem, Pio, Vieira, Cacildo, Marino, Arceu, Miguel, Bido, Pio, Canavieira, Bezerra, Antunes (irmão do Zico), Jarbas, Daizon e João Pontes, Laoni Luz, Julio César, Heraldo, Paraguaio, Serginho, Nicola, Chico Spina, Lettieri, Itamar, Doraci, Claudio Leite, Marcelo Rosa, Djair, Vergara, Paulo Santos, Pinga, Manú, Jair Gomes, Elton Correia, Zé Luís, Michel Bastos, Diguinho, Rafael Sobis...e muitos outros. Agora surge uma nova geração de talentos. Em 2008 o Cruzeiro foi Vice-Campeão Estadual de Juniores.

Atualmente disputa a Segunda Divisão do RS, não lembrando nem de longe o Cruzeiro de meados do século anterior.



Mascote

Leão


Estádios

Colina Melancólica

Nome: Estádio da Montanha
Local: Porto Alegre/RS
Capacidade: 20000 pessoas
Inauguração: 16/03/1941 - Cruzeiro-POA 1 x 0 São Paulo
Primeiro Gol: Gervásio, do Cruzeiro
Recorde de Público - 20000 pessoas no jogo de inauguração
Desativação: 1970
Propriedade: Esporte Clube Cruzeiro


Estrelão

Nome: Estádio Estrelão
Local: Porto Alegre/RS
Capacidade: 3000 pessoas
Inauguração: 3/04/1977, no jogo Cruzeiro 0 x 0 Pelotas
Primeiro Gol:
Recorde de Público:
Propriedade: Esporte Clube Cruzeiro
Obs: O estádio tem o nome Estrelão em uma referência ao apelido do clube (Estrelado) que se origina do fato de Cruzeiro ser uma alusão à constelação do Cruzeiro do Sul.


Hino

Letra e Música: Túlio Piva

Salve o glorioso Cruzeiro
Unido no ardor e na fé
Cinquenta anos se passaram
E o Cruzeiro continua de pé (refrão)

De pé
De bandeira na mão
Disciplina, unidade
Eis o seu galardão

Salve pavilhão estrelado
Pendurando ao vento
O seu glorioso passado

Link: http://hinosdetimes.blogspot.com/2009/05/cruzeirors.html





1 comentários:

  1. Muito bom o site!

    Sou cruzeirista des pequeno e esse site me ajudo a conhecer mais sobre esse time!

    ResponderExcluir

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *