26 março 2010

Esporte Clube Siderúrgica


O Esporte Clube Siderúrgica é um clube de futebol brasileiro, da cidade de Sabará, em Minas Gerais. Fundado no dia 31 de maio de 1930, é um dos times mais tradicionais do estado, apesar de estar fora das competições profissionais desde 2007. Foi duas vezes campeão mineiro, fazendo história no estado.

O clube foi inicialmente organizado para ser um Clube de Recreação Esportivo dos funcionários da Companhia Siderúrgica Belgo Mineira. A Companhia Siderúrgica Belgo Mineira foi patrocinadora do Clube, empenhando-se para o aprimoramento dos diversos departamentos do Clube, principalmente seu quadro de atletas profissionais. Contribuindo materialmente e financeiramente, possibilitou aos atletas satisfação, alegria e aprimoramento técnico e físico. Isso foi um exemplo de responsabilidade social em seu tempo, pois oferecia, através da Belgo Mineira, uma garantia de aprendizado de uma outra profissão, com a possibilidade, quando encerrava-se a carreira futebolística, do jogador trabalhar no ramo siderúrgico.

A primeira partida do clube aconteceu em 17 de agosto de 1930, no campo do Alves Nogueira Foot Ball Club, quando o Siderúrgica perdeu para o rival. O primeiro presidente foi Felicio Roberto e o primeiro campo de futebol foi construído com o patrocínio da Belgo, em terreno doado pelo Recreio Club Siderúrgica.

No decorrer do seu alto patrocínio, conseguiu dar ao Esporte Clube Siderúrgica, o primeiro título de sua história. Foi em 1932, quando sagrou-se Campeão Mineiro da 2ª divisão de futebol pela Liga Mineira de Desportos Terrestres, aderindo ao profissionalismo em 1933. A sua primeira partida como profissional foi na vitória sobre o Palestra Itália (atual Cruzeiro) por 2 x 1.

No ano de 1937 conquistou o seu primeiro estadual vencendo um jogo de desempate contra o Villa Nova, sendo 1 x 0 para o time de Sabará. O Siderúrgica teve ainda o artilheiro da competição, Arlindo, com 10 gols. Outro destaque foi Michel Spadano, centroavante do time.

Siderúrgica campeão de 1937

Time: Tonho, Rômulo Januzzi, Ferreira, Chico Preto, Mascote, Paulo Florêncio, Moraes, Geraldo Rebelo, Chiquinho, Arlindo e Princesa. Treinadores: Tonheca e Capitão.


No ano seguinte bateu na trave, sendo vice campeão, perdendo a final para o Atlético Mineiro.

Time em 1938

Manteve o departamento de tênis, que teve sua criação em 1940, que contou com grandes atletas e honrou liderança nos certames estaduais. Manteve os departamentos de basquetebol e voleibol, que floresceu no ano de 1947, sagrando-se campeão do torneio extra da FMF.

Em 1941, 1950 e 1952 foi vice campeão estadual em Minas Gerais. Em 1943 o cartunista Fernando Pierucetti, o Mangabeira, definiu como mascote da equipe uma Tartaruga.

Time de 1939

Time em 1942


Somente no ano de 1964 o time voltou a disputar uma final, e após vencer o América no antigo estádio da Alameda por 3 x 1 conquistou o título mineiro e deu início à festa na cidade histórica, dsitante apenas 25 km de Belo Horizonte. Na campanha de 1964 a Tartaruga só perdeu uma partida para o Cruzeiro.

Siderúrgica campeão de 1964

Em 1965, já na era Mineirão, o Siderúrgica conseguiu a terceira colocação no Estadual, atrás de Cruzeiro e América e à frente do Atlético Mineiro, utilizando a mesma base que conquistara o título de 64. Aliás, como campeão mineiro em 1964, coube ao Siderúrgica a honra de representar Minas Gerais na Taça Brasil de 1965, disputando o primeiro jogo oficial da história do recém inaugurado Mineirão. No dia 29 de setembro de 1965, 24 dias após a inauguração do estádio, o Siderúrgica recebeu o Atlético-GO, no estádio da Pampulha, no jogo de volta da decisão da Zona Centro e venceu por 3 a 1, seguindo adiante na competição, quando perdeu para o Grêmio.

Foto em jogo do Siderúrgica nos anos 60

Mas em 1967, com a revolução industrial no país, viu-se a empresa obrigada a cessar o patrocínio do departamento de futebol profissional, preferindo manter apenas os departamentos de amadores do Clube, pondo fim a 34 anos de fidelidade e deixando o Esporte Clube Siderúrgica em dificuldades e sem condições de prosseguir sozinho. Com isso o time acabou rebaixado no mesmo ano, ficando na penúltima colocação do campeonato.

O Siderúrgica voltou a atuar no futebol somente em 1993 e depois em 1997 nas divisões inferiores de Minas, entretanto, não conseguiu nem de longe o brilho das décadas anteriores.

Depois teve uma volta em 2007, mas acabou por ficar na vice lanterna de seu grupo, depois disso se afastou novamente dos campeonatos profissionais.

História de Paulo Florêncio, ídolo do Siderúrgica

Do Siderúrgica para a Seleção Brasileira - Uma história desconhecida por muitos, mas que é confirmada pelos arquivos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)
Hoje (abril/2009), aos 88 anos, Paulinho – como era e ainda é chamado por muitos-, se lembra daquele momento, na década de 40, quando era titular absoluto do Esporte Clube Siderúrgica, de Sabará. Foi, exatamente, em 1942.
Era para a disputa do Campeonato Sul-Americano de seleções, hoje Copa América, no Uruguai. No grupo de jogadores convocados pelo técnico Ademar Pimenta estavam craques como Domingos da Guia e Zizinho. E também Paulo Florêncio, mineiro de Itabirito, que nunca havia atuado diante do então treinador da Seleção.
O convite para integrar a delegação no Sul-Americano foi obra do ex-jogador Arthur Friedenreich, o Fried, espécie de “olheiro” da Confederação Brasielira de Desportos (hoje, CBF) naquela época. As jogadas de Paulinho com a camisa do Siderúrgica encantavam. E os elogios às boas atuações acabaram chegando aos ouvidos de Ademar Pimenta, técnico da Seleção Brasileira na época. “ O “Fried” tinha me visto jogar uma vez, Foi no jogo entre as Seleções Mineira e do Sul do Brasil. Quando encontrou com o Ademar Pimenta, perguntou: “Você quer um novo meia-esquerda para a seleção? Então vá a Minas e busca o Paulinho”. E eu acabei convocado”, lembra o ex-jogador.

Paulinho


Mascote

Tartaruga


Estádio

Praia do Ó

Nome: Estádio Eli Seabra Filho

Local: Sabará/MG

Capacidade: 3000 pessoas

Inauguração: 26/08/1934

Primeiro Gol:

Recorde de público:

Propriedade: Esporte Clube Siderúrgica


7 comentários:

  1. Olá, boa tarde.
    Joguei no Siderurgica, fui aspiritante, quando se tornou campeão contra o América. Sinto sauades e todas as vezes que passo pela Praia do O, tenho vontade de encontrar-me com toda a turma restante deste Time com T maíuculo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Neste Estádio, junto ao Flávio, Ademir e outros tantos jogadores, calcei a melhor chuteira, por mim, conhecida da marca Gaeta, macia, confortável e em uma semana, tomava o formato de meus pés...
    Saudades desse tempo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Meu pai foi jogador do Siderúrgica, esta com 93 anos bem lúcido e boas lembranças daquela época João Duarte Sarrado. Alguém lembra? maraangelica2@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Meu pai foi jogador do Siderúrgica, esta com 93 anos bem lúcido e boas lembranças daquela época João Duarte Sarrado. Alguém lembra? maraangelica2@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. sou sobrinho do geraldino lateral esquerdo gostaria de ter mais fotos dele alquem pode me ajudar?

    ResponderExcluir

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *